A surpreendente história de Amy Winehouse

O começo da história de Amy Winehouse:

A história de Amy Winehouse começa no hospital Chase Farm, na cidade de Londres, capital da Inglaterra, no dia 14 de setembro de 1983, era do signo de virgem e foi uma cantora e compositora conhecida por sua voz poderosa e composições inspiradas na sua vida amorosa conturbada.

História de Amy Winehouse
Foto: Pinterest

O seu pai, Mitchell Winehouse, trabalhava como motorista de táxi e cantor amador; a sua mãe, Janis, era farmacêutica. Amy tinha um irmão mais velho, Alex Winehouse, nascido em 1980.

A pequena Amy iniciou sua vida escolar aos 5 anos de idade na Osidge Primary School, onde seu irmão já estudava. Nessa escola primária, ela conheceu o ballet e as suas melhores amigas de toda vida, Juliette Ashby e Lauren Gilbert.

Sua família tinha uma forte tradição musical ligada ao Jazz, muitos de seus tios eram músicos profissionais do gênero e sua avó paterna Cynthia, tinha um relacionamento com Ronnie Scott, saxofonista e dono do de um clube de Jazz , o que fez com que Amy ingressasse muito cedo na música, era muito comum ela receber advertências das professoras por não parar de cantar nas aulas.

História de Amy Winehouse
Foto: GGN

Apesar de aparentar ter um lar harmonioso, na realidade a história de Amy Winehouse não eram bem assim, ela passou boa parte de sua infância presenciando a infidelidade conjugal de seu pai, a coisa era tão escancarada que a outra mulher de seu pai era conhecida pelas crianças como “a mulher do papai do trabalho”. Então depois de muita briga os pais de Amy se separam quando ela tinha apenas 9 anos. Os parentes da cantora acusam que o fato da separação de seus pais tenham a afetado emocionalmente, o que fez Amy se tornar uma garota bem rebelde na sua adolescência.

Ainda com 9 anos de idade, Cynthia a avó de Amy, a matriculou em uma escola de artes para que ela estudasse canto na Susi Earnshaw Theatre School, a qual frequentou por 4 anos.

Nesse meio tempo, com apenas 12 anos de idade, Amy forma com sua amiga Juliette uma banda de rap chamada Sweet ‘n’ Sour, nessa época ela já apresentava indícios que viria a ser uma grande artista.

Em 1996, ela ela organizou a própria audição para o colégio Sylvia Young Theatre School, na qual apresentou uma versão de “On the Sunny Side of the Street“, canção de 1930, interpretada por Harry Richman e Gertrude Lawrence, essa apresentação lhe rendeu uma bolsa de estudos integral na escola. Lá ela se destacou nas aulas de canto, dança e interpretação, mas ao mesmo tempo tinha um baixíssimo rendimento nas matérias acadêmicas, chegando a ser expulsa após um ano por indisciplina, então, ela foi matriculada na escola Brit Performing Arts and Technology School, aos catorze anos, idade em que ela também foi apresentada as primeiras drogas ilícitas.

Amy Winehouse
Foto: Times Newspapers

Aos 15 anos, a história de Amy Winehouse começa a ficar mais conturbada, ela faz sua primeira tatuagem, uma pequena Betty Boop nas costas e começou a compor suas primeiras canções. Nessa mesma idade a cantora se tornou bulímica, ela forçava o próprio vomito após períodos de compulsão alimentar.

Ainda adolescente ela já se apresentava em pequenos clubes de Jazz de Londres. Para ajudar sua família financeiramente, a cantora trabalhou como jornalista para World Entertainment News Network, agencia de jornalista fundada pelo pai de sua melhor amiga Julliete, ela também trabalhou em um estúdio de piercings e tatuagens e em uma loja de confecções.

Apesar de Amy ter sido expulsa da Sylvia Young Theatre School, a diretora Sylvia Young gostava tanto dela e via tanto potencial que ela entrou em contato com Bill Ashton, o fundador, diretor musical e presidente vitalício de uma banda chamada National Youth Jazz Orchestra, a fim de organizar um teste vocacional para que Winehouse ingressasse no grupo no ano de 1999. Após apresentar algumas canções, ela foi admitida como vocalista e passou a realizar frequentes apresentações com a banda.

O talento da garotinha era evidente, e rapidamente ela despertou o interesse dos grandes produtores musicais da região. No ano de 2002 com apenas 18 anos de idade Winehouse fechou seu primeiro contrato para gravação de um Álbum com a gravadora Island Records, que é responsável por grandes nomes da música mundial, como Bon Jovi, Demi Lovato, Elton John entre muitos outros artistas.

Amy Winehouse - Frank (2003)
Foto: Amazon

Sua estreia no cenário musical autoral aconteceu no ano de 2003, com o álbum Frank, que apesar de ser bastante elogiado pela crítica especializada, não teve uma quantidade significativa de vendas na época. A maior parte das composições desse disco girava em torno do seu relacionamento com o repórter Chris Taylor, que ela conheceu enquanto trabalhava na World Entertainment.

Com o disco Frank, Amy recebeu as suas primeiras indicações a prêmios importantes e foi incluído no livro “1001 discos para ouvir antes de morrer”, entretanto, a cantora revelou que estava insatisfeita com o álbum, pois seus produtores forçaram-na a incluir duas canções que ela não queria e realizaram modificações no material que não a agradaram. Com isso, após todos os compromissos com o álbum ela resolveu se afastar dos holofotes, pois estava esgotada criativamente, então ela ficou 18 meses enfrentando um bloqueio criativo.

No tempo em que Amy estava enfrentando essa crise, a cantora começou a frequentar vários pubs londrinos, e em um deles ela conheceu Blake Fielder-Civil, com quem manteve um relacionamento amoroso que não durou muito, pois Blake já tinha namorada. Apesar do pouco tempo de relação, o término abalou muito a cantora, que misturado ao falecimento de sua avó Cynthia fez Amy passar por momentos sombrios de sua vida.

Todos esses fatos deixaram evidente na aparência de Amy o abuso de drogas e álcool, que junto com seus transtornos alimentares a fizeram ter uma perca de peso drástica, que não passou despercebido pela imprensa britânica. Seu amigo e empresário Nick Shymansky tentou convencer Amy a internar-se em uma clínica de reabilitação, mas ela negou.

Amy Winehouse já estava farta de toda pressão de sua atual gravadora, então ela decide romper o contrato e chama seu amigo Nick para acompanhá-la, mas ele não aceitou o convite. Em meio a toda essa turbulência pessoal, a cantora começa a trabalhar em seu novo disco, inspirado em seu rompimento com Blake e os seus dias entregue as drogas. Em apenas cinco meses Amy finaliza seu mais novo disco intitulado de Back to Black e expõe o seu lado mais reflexivo.

Amy Winehouse - Back To Black
Foto: Amazon

O retorno de Amy Winehouse aos palcos foi realizado no Bloomsbury Ballrooms, em 12 de setembro de 2006, onde a artista apresentou algumas de suas novas canções, entre as quais “Rehab”, o primeiro single do disco. Lançado em 23 de outubro, Back to Black recebeu aclamação dos críticos musicais e tornou-se o seu primeiro single a alcançar os dez primeiros lugares da UK Singles Chart, levando a sétima colocação. O desempenho do disco fizeram o jornal The Guardian declarar que 2006 era o ano de Amy Winehouse.

Aquela altura, a fama do disco Back To Black já despertava interesses comerciais mundo a fora, então a gravadora Universal decidiu fazer o primeiro concerto de Amy nos EUA, que aconteceu no Joe’s Pub, na cidade de Nova York. Foram realizadas duas apresentações, ambas esgotadas, Amy foi recebida de forma calorosa pelo público americano, recebendo muito elogio de vários artistas de renome mundial, como Prince e Snoopy Dog e apareceu na lista “10 artistas que valem a pena conhecer” da revista Rolling Stones. No dia 12 de março de 2007 Amy fez sua primeira aparição em um progama de TV, no Late Show comandando pelo icônico David Letterman.

Primeira aparição de Amy Winehouse na TV

Rapidamente a história de Amy Winehouse se consagrou como uma das artistas britânicas mais consagradas no mercado americano. O disco Back to Black foi o mais vendido do ano de 2007, alcançando 6 milhões de cópias.

Ao mesmo tempo que sua carreira decolava, sua ruína pessoal se tornava cada vez mais evidente. Sua bulimia misturada com a dependência química fizeram sua aparência mudar radicalmente em pouquíssimo tempo, ela constantemente aparecia embriagada nos concertos e se internou diversas vezes em clinicas de reabilitação. Sua gravadora não viu outra alternativa se não cancelar todas as suas apresentações que estava marcada, ela foi impedida até mesmo de se apresentar no MTV Video Music Awards de 2007.

Amy Winehouse & Blake
Foto: The Sun

Nessa época Amy reatou com Blake e eles se casaram no dia 18 de maio em Miami. Essa relação desde o começo foi muito danosa pra saúde mental de Amy, eles constantemente eram alvo dos tabloides sensacionalistas, além disso Blake foi responsável por apresentar drogas ainda mais pesadas a Amy, todos esses escândalos já começavam a ofuscar a imagem pública da cantora.

Mesmo após tudo isso, Amy não parou de fazer música, ela uniu-se com Mark Ronson e lançou o single Valerie, canção originalmente lançada pela banda The Zutons. Ainda nesse ano, ela lançou outros singles, como “Tears Dry On The Own” e “Love Is A Losing Game”. Em novembro desse ano ela ainda lançou uma versão uma reedição do Back to Black: Deluxe Edition, com as musicas originais do disco mais 8 canções novas, sendo a maior parte covers de músicas Ska.

Em 2008 Amy foi indicada a seis prêmios no Grammy Awards, ao mesmo tempo em que ela estava internada em uma clínica de reabilitação. Para participar da cerimônia Amy abandonou o tratamento, mas devido as suas polêmicas com drogas as autoridades americanas não lhe concederam o visto a tempo dela comparecer, então ela participou da cerimônia por meio de uma transmissão via satélite do Riverside Studios, em Londres.

A cantora foi consagrada como a artista mais premiada da noite levando cinco troféus, “Canção do ano”, “Gravação do ano”, “Melhor álbum vocal pop”, “Artista revelação” e “melhor performance vocal pop feminina”, em apenas uma edição de Grammy, Amy se tornou a artista britânica mais premiada, entrando até para o Guinness Book em 2009. De Londres ela apresentou duas músicas, “Rehab” e “You Know I’m No Good”, sua perfoemance na premiação foi considerada o momento mais importante do cenário musical da Inglaterra de 2008. Uma semana depois da cerimonia o disco Back to Black aumentaram suas vendas em 370%.

Ao mesmo tempo que seus discos vendiam como água, a história de Amy Winehouse não ia nada bem, tudo piorou bastante quando seu marido foi preso em novembro de 2007 sob a acusação de agressão ao proprietário de um bar, esse fato fez com que ela cancelasse diversas apresentações e agravou bastante seu consumo de substancias tóxicas. A Universal ignorou esses fatos e continuou marcando várias apresentações para a cantora, muitos desses shows tiveram resultados desastrosos, como o Rock in Rio Lisboa, em qua a cantora mal conseguia cantar.

Apesar disso, a popularidade da cantora não se abalou, suas apresentações no V Festival e no Bestival atraíram o maior público já registrado pelos organizadores. Em fevereiro de 2009 Amy foi convidada para realizar uma performance no encerramento de um desfile de moda da Louis Vuitton em París.

A essa altura a saúde da cantora já estava bastante debilitada, ela foi diagnosticada com um estágio inicial de efemeriza pulmonar e foi alertada pelos especialistas que se continuasse com o abuso de drogas, álcool e nicotina iria ter um dano permanente na sua voz e até poderia perder a vida. Em razão disso, a artista encerrou toda a sua agenda e viajou para o Caribe para iniciar um novo tratamento. Lá ela ficou durante 8 meses e iniciou a composição de seu terceiro disco de estúdio, mas o material foi rejeitado pela gravadora, pois estava muito fora do contexto e influenciado pelos ritmos locais, especialmente o reggae.

Voltando para Londres, Amy decidiu criar sua propria gravadora, a Lioness Records, ela voltou aos estídios por diversas vezes para tentar gravar seu novo material, mas as sessões foram muito improdutivas e o lançamento de seu terceiro disco foi adiado várias vezes.

Em agosto de 2009 Amy termina seu relacionamento com Blake em razão da acusação de adultério.

No final de 2010 Amy anunciou sua volta aos palcos para 2011, os primeiros cinco concertos aconteceram aqui no Brasil, nas cidades de Recife, São Paulo, Florianópolis e Rio de Janeiro. As apresentações foram bem sucedidas, mas não se igualaram ao seu auge. No entanto no concerto em Dubai a imprensa publicou que ela subiu ao palco embriagada e por causa disso não finalizou sua apresentação.

Em maio de 2011 Amy reiniciou seu tratamento de combate ao alcoolismo na Priory Clinic, em Londres, mas logo também desistiu para realizar a primeira apresentação de uma turné europeia, que aconteceu em Belgrado, capital da Sérvia, mas o show foi desastroso, pois mais uma vez ela se apresentou completamente babada, ela chegou até a ser vaiada pelo público. Pouco tempo depois ela decidiu cancelar toda a turnê afirmando que voltaria para o tratamento.

Por volta das 15 horas e 54 minutos de 23 de julho de 2011 a história de Amy Winehouse chega ao fim, o seu segurança, Andrew Morris a encontrou morta na sua casa de número 30 da rua Camden Square, localizada no bairro de Camden Town, em Londres. Após a divulgação da notícia, reuniram-se em frente à residência equipes de filmagem, fotógrafos e admiradores. A polícia britânica então abriu uma investigação para determinar a causa da morte da cantora, porém as primeiras análises não foram conclusivas. Apenas em 26 de outubro os relatórios finais puderam indicar que a causa da morte foi acidental e ocorreu devido ao consumo abusivo de álcool após um período de abstinência.

Espero muito que você tenha gostado do nosso resumo sobre a história de Amy Winehouse. Se você é um fã apaixonado pela cantora, dá uma olhada na nossa camiseta especial da nossa queridíssima e eterna Amy.

Comprar Camiseta Estampada Amy Winehouse
Comprar Camiseta Amy Winehouse

Dudu Guerreiro

Sou fundador da Chá de Fita, amante da cultura brasileira, fotógrafo, produtor de eventos e ilustrador nas horas vagas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *