Select Page

➤ As maiores curiosidades sobre Raul Seixas

➤ As maiores curiosidades sobre Raul Seixas

Raul Seixas – As maiores curiosidades sobre o Rei do Rock brasileiro

Já fazem 30 anos desde que Raul Seixas nos deixou, sendo um dos pioneiros do rock no Brasil e referência no gênero para tantas gerações à frente. Mais especificamente, ele faleceu na data 21 de agosto de 1989, e ainda assim o seu legado perseverou a ponto de acumular diversos feitos e características alusivos a sua trajetória.

A primeira e talvez mais impactante curiosidade sobre Raul Seixas seja de que a morte do músico, cantor e compositor veio dias antes do lançamento do seu disco A Panela do Diabo, álbum que resultou da parceria com Marcelo Nova. Além dessa, outras curiosidades marcam a vida do músico. Seguem alguns dos mais interessantes fatos da sua trajetória.

Ídolo nacional

A trajetória musical de Raul Seixas atingiu seu pico com o álbum “Krig-Há Bandolo!”, lançado em julho de 1973. Nesse ponto de sua carreira, ele foi consagrado o grande ícone do rock nacional, em função de grandes sucessos como “Metamorfose ambulante”, “Mosca na sopa”, “Al Capone” e “Ouro de tolo”, seu primeiro clássico.

Inclusive, a canção “Ouro de tolo” é considerada um grande sucesso em razão da sua letra, que critica a sanha consumista e premissa do “milagre brasileiro”. A música foi lançada como single com Raul Seixas cantando no meio da Avenida Rio Branco, em São Paulo.

Para a canção Gita, Raul Seixas contou com 62 músicos em sua produção

Atualmente, é comum grandes produções para álbuns da música pop, seja de grandes artistas ou até mesmo dos característicos de nicho, no entanto, quando falamos de apenas uma música, lançada na década de 70 com produção totalmente voltada para o mercado brasileiro, contar com nada menos que 62 músicos em estúdio para a sua produção é um feito memorável.

Raul Seixas foi um músico brilhante, e sua música deixa isso evidente, bem como o seu empenho nas composições e produções. Não apenas a música, assim como o álbum de mesmo nome também conta com uma produção grande, tendo em vista a variação de gêneros musicais que o disco passeia.

Além disso, a condição da música ser inspirada em textos sagrados do hinduísmo colocou Raul e o seu parceiro de composição, Paulo Coelho, no patamar de “profetas” da música popular brasileira. O programa Fantástico, da Globo, foi determinante para fazer a canção um sucesso, em razão de um clipe gravado exclusivamente para o mesmo.

Parceria com Paulo Coelho começou por conta de um artigo sobre extraterrestres

A forma como uma das parcerias mais promissoras da música brasileira aconteceu certamente foi totalmente inusitada. Raul Seixas e Paulo Coelho possuem diversas composições juntos, e isso tudo só foi possível depois que o cantor leu um artigo a respeito da existência de extraterrestres assinado por Paulo Coelho na revista A Pomba, em 1972.

Um fato ainda mais curioso a respeito desse encontro é que Raul gostou tanto da publicação que resolveu ir atrás de Paulo Coelho na redação da revista. No entanto, em função do regime militar que

estava instalado no país naquela época, Coelho pensou que o cantor fosse um militar a sua procura, e, por isso, mentiu sobre ser o escritor do artigo. Após a confusão, ambos construíram uma bela amizade.

Juntos, ambos compuseram músicas como “Tente outra vez”, Medo da chuva”, “Sociedade alternativa” e “A maçã”.

A sociedade alternativa chegou perto de existir

A música de mesmo nome sim, mas a de fato sociedade alternativa baseada na Lei de Thelema, do britânico Aleister Crowley, quase foi concretizada por Raul Seixas e Paulo Coelho. Essa sociedade foi a ideia de um lugar onde imperaria o conceito de que “faze o que tu queres há de ser o todo da lei. O amor é a lei, amor sob vontade”, desenvolvida no início do século XX.

De acordo com Raul, em 1974, ele ganhou de uma sociedade esotérica a qual ele fazia parte um terreno em Minas Gerais que serviria para concretizar a ideia da sociedade alternativa, chamada de Cidade das Estrelas, onde, segundo o próprio músico, “o advogado era o não-advogado, e o policial era o não-policial”.

Raul já compôs samba

A única música do gênero composta por Raul Seixas foi “Aos trancos e barrancos”, desenvolvida para o projeto chamado “Sociedade da Grã-ordem Kavernista Apresenta Sessão das Dez”, de 1971, em parceria com os cantores Sergio Sampaio, Miriam Batucada e Edy Star.

“Toca Raul!”

Entre as explicações para o surgimento de uma das frases mais comuns da música popular brasileira, “toca Raul”, está a de que, devido às tantas colaborações com o músico, na década de 90, Marcelo Nova começou a receber esses pedidos de quem ia ao seu show.

Sucesso de público e confusões

Em 1982, Raul Seixas se apresentou para cerca de 150 mil pessoas em Santos, no litoral paulista, um sucesso extraordinário de público que ficou para a história da sua carreira. No entanto, no ano seguinte, precisou comprovar quem era na cidade de Caieiras, em São Paulo, após chegar bêbado no local de um show agendado.

A situação foi tão controversa que o público realmente não o reconheceu e pensou ser um impostor, o que levou grande parte do público presente a querer agredir o músico. O ocorrido se desenvolveu até chegar a uma delegacia da cidade, onde Raul também não foi reconhecido pelos oficiais da polícia e acabou prendendo-o por aproximadamente duas horas.

Família

Raul já fora casado cinco vezes e teve três filhas ao longo desses casamentos. Suas esposas foram Edith Wisner (1967), com quem teve sua primeira filha, Simone; Glória Vaquer (1975), com quem teve sua segunda filha, Scarlet; Tannia Mena Barreto (1978); Ângela Affonso Costa (1979), com quem teve a sua terceira filha, Vivian; e por último Lena Coutinho (1987).

Alcance digital

Presente nos mais promissores serviços de streaming, Raul Seixas é considerado mesmo um ícone do YouTube. Uma pesquisa com o seu nome na plataforma do Google garante mais de 45 milhões de

resultados entre apresentações ao vivo, gravações remasterizadas, videoclipes, entrevistas e até mesmo documentários.

Condição de saúde e falecimento

O fato do cantor possuir diabetes foi determinante na sua morte. O mesmo faleceu de parada cardíaca em função de bebidas alcoólicas somada a não aplicação de insulina no dia anterior, o que provocou pancreatite aguda fulminante.

About The Author

Dudu Guerreiro

Blogueiro, desenhista, fotógrafo...

3 Comments

  1. clécia

    raul sexas é muito foda, melhores letras!

    Reply
  2. p.s.t.

    muito coisa massa, massa

    Reply
  3. Plínio ds

    toca raulllllllllllllllll

    Reply

Leave a reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

  • Siga nosso Instagram

  • Curta nossa Fanpage!

  • Nossas redes sociais

  •