Alceu Valença Biografia

Alceu Paiva Valença nasceu na cidade de São Bento do Una, interior de Pernambuco no dia 1 de julho de 1946.

O envolvimento de Alceu com a cultura musical começa ainda na infância, observando os cantadores das feiras de sua cidade, violeiros, tocadores de sanfona de oito baixos e outras manifestações culturais, o pequeno Alceu absorveu toda essa cultura nordestina desde o berço.

Na Fazenda Riachão em que morava na infância, Alceu Valença também se acostumou a observar os saraus organizados pelo seu avô, a base de muita música e poesia.

Quando o pequeno tinha apenas 7 anos, sua família se mudou para a cidade de Garanhuns, e logo em seguida foram se estabelecer na cidade de Recife, quando Alceu tinha 10 anos de idade.

Alceu viveu no centro da capital pernambucana, na Rua dos Palmares, onde conheceu os blocos de frevo, os grupos de maracatu e a ciranda. Vivendo em Recife, o cantor teve a oportunidade de conviver com pessoas importantes da cena artística brasileira.

No ano de 1965, Alceu passou para a Faculdade de Direito de Recife, sem muita pretensão, ele se inscreveu num concurso promovido por uma instituição dos EUA que oferecia um curso de 3 meses na Universidade de Harvard . Sem saber absolutamente nada de inglês, Alceu elaborou uma redação que comparava o Marxismo com a igreja e apontava poeticamente as contradições das ideologias e acabou sendo aprovado.

Nos Estados Unidos, Alceu logo se juntou com outros estudantes de esquerda e chegou até a participar de uma das reuniões dos Panteras Negras na cidade de Boston. Em meio aos hippies e estudantes, Alceu tocava seu violão nas praças americanas, chegando até a ser entrevistado por um jornal local com o título em inglês: “Alceu Valença, o Bob Dylan brasileiro”.

Após acabar seu curso nos EUA, Alceu volta para Recife e se forma em direito no ano de 1969, mas ele desiste da carreira de advogado para poder investir na música, começa então a inscrever suas músicas nos Festivais da Canção. No ano de 1970 ele decide se mudar para a cidade do Rio de Janeiro com seu amigo Geraldo Azevedo, para realmente se jogar de vez na música.

No ano de 1972, Alceu Valença e Geraldo Azevedo lançam seu primeiro disco juntos, intitulado de Quadrafônico, o que já lhe valeu seus primeiros problemas com a censura.

O disco chamou bastante atenção do compositor Sergio Ricardo, que convidou Alceu para ser protagonista do filme “A Noite do Espantalho”, que também rendeu um LP com a trilha sonora do filme lançada pela gravadora Som Livre.

No ano de 1974, Alceu lançou seu primeiro disco solo também pela Som Livre, intitulado de “Molhado de Suor”.

Em 1975, o cantor participou com a canção perturbadora “Vou Danado Pra Catende” do Festival Abertura, promovido pela TV Globo, ao lado de grandes nomes da música pernambucana, como Zé Ramalho, Lula Cortês, Zé da Flauta, Ivinho e Paulo Rafael. Esse evento catapultou o nome de Alceu para dentro dos lares brasileiros.

No ano de 1976, com essa mesma banda, Alceu grava o lendário álbum Vivo!, gravado no Teatro Tereza Raquel, na cidade do Rio de Janeiro.

Após passar um período na França, Alceu se recria como músico, e formata o estilo que lhe consagraria como um dos maiores compositores do país.

Dudu Guerreiro

Sou fundador da Chá de Fita, amante da cultura brasileira, fotógrafo, produtor de eventos e ilustrador nas horas vagas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Social media & sharing icons powered by UltimatelySocial