Select Page

➤ O que acontece quando a moda e música se encontram?

➤ O que acontece quando a moda e música se encontram?

O que acontece quando a moda e música se encontram?

Você já deve ter reparado que moda e música são duas coisas que andam juntas. O gosto musical de uma pessoa reflete muito na maneira como ela se veste, e vice-versa. Isso não é à toa, e nem é uma mania exclusiva de cada um. Trata-se de todo um movimento que já existe há muito tempo, e hoje você vai conhecê-lo um pouco melhor.

Os estilos musicais têm seus “15 minutos de fama” e, com isso, as pessoas que se identificam com cada um deles acabam transparecendo esse afeto pela maneira como se vestem.

Se você tem um gosto musical mais agressivo, ligado à contracultura e insatisfações com o governo, por exemplo, isso vai transparecer na maneira como você se veste.

Se por acaso você tem um gosto musical mais delicado, isso também vai ser refletido no seu jeito de se vestir. Repare no estilo de quem costuma ouvir música clássica, por exemplo. E sabe por que a moda e a música trilham o mesmo caminho? Por causa da mídia!

Mídia

A mídia abre para nós as portas de tudo o que está acontecendo ao redor do mundo, e foi graças a ela que moda e música puderam firmar uma relação tão sólida.

Primeiro porque, sem a televisão, nunca seria possível saber o que nossos artistas preferidos usam, e, assim, não haveria a vontade de usar peças iguais.

Além disso, se não fosse a mídia, os canais de venda como os e-commerce jamais ganhariam espaço, e a última geração não iria conseguir comprar o tênis que viu seu artista preferido usar no clipe que lançou semana passada.

Moda e música

Vamos parar para pensar em quantos estilos musicais existem? Hip hop, jazz, clássico, pop, rock, soul, samba e muitos outros. São milhares de gêneros musicais e, por isso, as pessoas têm uma maneira tão variada de se vestir, porque além da variedade dos estilos, existe uma variedade de artistas que dissipam o uso de determinadas peças por aí.

Quando andamos nas ruas, podemos ver pessoas usando calças jeans apertadas, largas, camisas xadrez, macacões, vestidos, tênis dos mais diversos tipos e cores, sapatos, chinelos, sandálias e afins. Essas pessoas, mesmo que inconscientemente, se deixam levar pelo seu gosto musical para escolher a roupa que usam no dia a dia.

As peças que você vê nas vitrines das lojas não estão ali por acaso. Quase todas elas, inclusive, estão ali por influência musical. E a aceitação do público é o que faz a indústria da moda perceber até mesmo qual gênero está mais em alta no momento.

No entanto, há aqueles que se vestem assumidamente de acordo com o seu gosto musical, e essas pessoas se deixam levar pelos movimentos, dos quais vamos falar aqui hoje, para que você fique ainda mais antenado nessa relação maravilhosa que a moda e a música têm.

Hip Hop

O hip hop e a moda têm uma relação bem estreita, se não fosse por isso, não haveria tantos rappers lançando suas próprias coleções e faturando milhões de dólares com elas.

A marca Adidas, por exemplo, é um ícone entre os artistas do hip hop. O próprio rapper Pharrel Williams já lançou diferentes modelos de tênis em parceria com essa marca. No entanto, a majestade da Adidas começou nos anos 80, pela influência do grupo RUN DMC.

A primeira parceria entre um grupo musical e uma grande marca foi essa, quando o RUN DMC lançou seu hit My Adidas e um modelo de tênis que era a cara desse estilo musical.

Foi dessa forma que os fãs começaram a estabelecer que um item indispensável para seu guarda-roupas seria o modelo resultado da collab Adidas e o grupo RUN DMC.

Uma peça que vem sendo muito usada hoje em dia por quem adora hip hop é a camisa jeans. As jaquetas também têm vez, mas as camisas venderam nos últimos três anos como nunca! Elas são uma adaptação das jaquetas largas jeans utilizadas pelos rappers na década de 80, e, agora em uma releitura, são vendidas nas lojas de todo o mundo.

Mesmo marcas consagradas da alta costura como a Chanel se renderam ao movimento do hip hop e começaram a complementar suas peças com muitas jóias de ouro, e até mesmo lançar macacões e vestes mais larguinhas. Karl Lagerfeld sempre foi um visionário e sabia o que fazer para que a marca ficasse à altura das novas tendências no mercado.

Nem todo mundo têm acesso às grifes, mas a tendência do hip hop na moda pode ser encontrada em preços bem acessíveis em muitas outras marcas diferentes, que fazem a cabeça dos que curtem a música originária dos guetos.

Conjuntos de moletom são muito vendidos por aí hoje em dia, e não simplesmente porque são confortáveis, mas sim, porque são peças ícones do hip hop, que também eram usadas pelos rappers na década de 80.

É claro que muita coisa foi adaptada para ser usada atualmente, mas sem perder a essência do estilo que se consagrou naquela década.

Indie

Outro estilo muito comumente visto por aí é o Indie, que atinge principalmente os jovens, e adivinhe de onde ele surgiu? Bom, se você respondeu “da música”, então acertou em cheio.

A palavra “indie” vem do termo “independente” e está diretamente ligada a bandas e músicos que não se renderam às grandes gravadoras, e sim se mantiveram atuando de forma alternativa.

Calças jeans apertadas, camisas xadrez, a boa e velha camiseta branca, gola V, pulseirinhas de couro e até mesmo os óculos mais grossos, que lembram os nerds, compõem um estilo resultante da moda indie.

Você sabe quais são as grandes referências do universo musical indie no momento? Podemos citar personalidades como o músico Alex Turner, da banda Arctic Monkeys, e entre as mulheres, Lana del Rey e Taylor Swift .

Esse estilo musical caracteriza para os homens, roupas diferentes, mas que não perdem a elegância, principalmente porque um homem indie nunca dispensa uma camisa de botões. Já as mulheres ganham uma aparência delicada, mas ao mesmo tempo cheia de estilo e particularidade.

Rock

O rock também é um estilo musical que influenciou milhões de pessoas na hora de escolher o que vestir. O rock teve seu boom na década de 50, e, desde então, ano após ano, a moda vem se reinventando, influenciada por esse estilo.

O rock por si só já trata de transparecer rebeldia em suas letras. Afinal de contas, foi um ritmo criado para se contrapor à cultura presente de sua época, portanto, quem gostava de rock já podia se considerar uma pessoa expressiva.

Não bastasse isso, as pessoas começaram a querer usar o que seus ídolos do rock usavam, e foi assim que o preto começou a ganhar espaço na vida das pessoas. Hoje, todo mundo usa preto com frequência, mas a verdade é que isso não era tão comum antes do rock explodir.

O uso do couro preto se tornou comum na época do auge do rock. Bandas como a Kiss, por exemplo, faziam muito uso das peças nesse material, sem mencionar os coturnos, também usados pelos integrantes da banda e que fizeram o maior sucesso!

Você sabe quem foi o precursor das jaquetas de couro? Ninguém mais, ninguém menos do que Elvis Presley. Elvis misturava rock e country, o que deu origem ao rockabillys, e o símbolo principal dessa tendência foi a jaqueta de couro, vendida até hoje em milhares de lojas ao redor de todo o mundo, e que não faz sucesso só entre os admiradores do rock.

E você sabia que foi graças ao rock que as camisetas de banda surgiram? Isso mesmo. Para evidenciar que alguma banda te agradava, o lance era usar uma camiseta com o nome e uma foto da banda estampada.

Isso prevalece nos dias atuais, mas o surgimento aconteceu depois do boom do rock na década de 1950.

O rock também influenciou a geração Z, que, apesar de ouvir um estilo musical proveniente do rock tradicional, se deixava levar por todo o preto que era usado na época em que esse gênero explodiu.

Munhequeiras pretas, os tênis all star (apesar de terem feito sucesso graças a um jogador de basquete), calças rasgadas e tudo mais, foram peças usadas pela geração Z na época em que bandas “emo” como Nx Zero e Fresno estavam em alta.

Grunge

Quem aqui nunca ouviu falar em Nirvana, não é mesmo? Essa banda consagrada do estilo Grunge influenciou toda uma geração, mesmo após a morte do astro Kurt Cobain.

Nirvana e Pearl Jeam foram grupos musicais que influenciaram muito a moda da década de 90. Um exemplo disso é o fato de que muitos homens passaram a deixar o cabelo crescer, mas não muito, de forma que ficassem na altura do queixo, como usavam os grandes nomes da música Grunge.

O desleixo era a característica principal desse estilo. Camisas largas e jeans surrado, bem como gorros, são itens que não podem faltar no guarda-roupas de quem se veste influenciado pela música Grunge.

Country

Antes que você pense que é muito difícil ver alguém andando de bonita e chapéu country por aí, deixe-me dizer que não é especificamente disso que estamos falando.

O country já fez muito sucesso, e durante um tempo, mais especificamente nos anos 2000, influenciou muita gente. Artistas norte-americanos como Tim McGraw e Shania Twain foram os responsáveis pelo grande contingente de pessoas que passou a se identificar com o ritmo.

Hoje em dia, pode-se dizer que o Sertanejo é um descendente do Country, e a maioria das pessoas que gosta desse tipo de música, não dispensa uma camisa de botão, calças jeans apertadas e até mesmo uma botinha de vez em quando.

Saias jeans são peças fruto da influência sertaneja, e a camiseta pólo, no fim das contas, também é uma peça coringa do armário de qualquer homem que não dispense uma balada sertaneja.

Pop

A música pop é uma mistura grande de ritmos e estilos musicais, por isso, o jeito de se vestir dessas pessoas é bem misto.

O que muito se vê no público desse estilo musical são peças coladas ao corpo, principalmente nas mulheres, em referência ao estilo pin-up de cantoras pop como a famosa Katy Perry.

Peças com brilhos também são muito comuns, e você sabe os shorts prateados que as meninas têm usado ultimamente? Bom, eles são pura influência da música pop.

Roupas bem coloridas, mas com cortes moderninhos também são comuns de se ver em pessoas que adoram música pop.

E é claro que não podemos nos esquecer da forte influência de vestuário que o rei do pop Michael Jackson nos deixou, não é mesmo?

Blazers que sobrepõem camisetas brancas e até mesmo os chapéus pretos que o rei do pop usava tiveram seus 15 minutos de fama. Isso sem falar nos sapatinhos, não é mesmo? Com as meias à mostra, algo que inclusive voltou com tudo nos dias de hoje, e as marcas estão lançando meias cada vez mais estilosas em virtude disso.

Funk

Esse ritmo musical jamais poderia ficar de fora de uma análise entre moda e música, não é? O Funk é o estilo que, no Brasil, surgiu da periferia, por isso, caracteriza roupas curtas e apertadas para as mulheres, e, para os homens, as marcas que remetem ao estilo “ostentação”.

Repare como no funk os cantores citam jóias e relógios de ouro, bem como óculos de marca, tênis e afins. Vários MC’s, como o Guimê, exaltam marcas como a Oakley, uma das fabricantes dos famosos óculos Juliet, um ícone

As meninas, por outro lado, usam shortinhos e blusas que não cobrem a barriga, como fez a cantora Anitta no clipe da música “Vai Malandra” que retratou muito bem várias peças de roupas chave na periferia, incluindo o velho biquíni de fita isolante.

Bom, depois de toda essa análise ficou claro o quanto moda e música exercem um papel muito importante e influente entre si, não é mesmo? Sempre que você ouvir alguém falar o contrário, lembre-se de citar alguns exemplos que foram dados aqui, porque música e moda se encontram, e muito!

About The Author

Dudu Guerreiro

Blogueiro, desenhista, fotógrafo...

2 Comments

  1. Samir

    Otimo texto!

    Reply
  2. Lucas Cesar

    ameiii o texto, gosto de textos assim!

    Reply

Leave a reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

  • Siga nosso Instagram

  • Curta nossa Fanpage!

  • Nossas redes sociais

  •